jusbrasil.com.br
8 de Março de 2021

A verdadeira face do Brasil

Do pó à lama

Valeria Nagy, Bacharel em Direito
Publicado por Valeria Nagy
há 5 anos

O Brasil sempre teve sua imagem relacionada à alegria, ao calor humano, à cordial receptividade. Tudo a ver com suas cores, seu carnaval. Porém, hoje vemos uma realidade bem diferente, talvez, a verdadeira face deste país. O ódio fomentado pelas religiões fundamentalistas, pelas políticas extremistas, pelo excesso do conservadorismo liderados por aqueles que relutam em mudar, em evoluir, é evidente em nível mundial, mas o Brasil vem surpreendendo ao menos nas manifestações de ódio e intolerância que andamos vendo nas redes sociais da internet.

Muita gente deve achar que a web é um universo à parte, um lugar isolado do mundo, sob a proteção da tela do computador. Enganam-se esses, pois a internet nada mais é que um meio de comunicação que reflete aquilo que cada um traz dentro de si e que é externado sem os filtros pelos quais a maioria se esconde na "vida real". A ilusão está em achar que o que se posta na rede não reflete no lado de fora.

O fundamentalismo religioso chegou por aqui há alguns anos e está tomando espaço cada vez maior na sociedade; a corrupção "voltou" a contaminar de forma fatal a nossa política; a violência generalizou-se; os preconceitos de todos os matizes estão dando voz a todo tipo de abuso que possamos imaginar.

Esse quadro de horror multiplica e reproduz uma sociedade retrógrada, em vias de voltar à censura, à inquisição, à escravidão, à perseguição nazi-fascista com aval do Estado, que está indo para qualquer lugar menos para o democrático de Direito. Isso é muito grave.

Qual seria essa face verdadeira do Brasil? A meu ver, um povo que herdou o DNA da colonização somado aos anos e anos de ditadura com o agravante da imaturidade política e abandono social. Um povo que não tem cultura, instrução e que está longe de querer crescer intelectualmente, muito porque os governos não têm interesse algum nisso, associado à pobreza, prato cheio dos espertalhões fantasiados de "homens de Deus" e os inúmeros problemas sociais, aliado à preguiça e ao conformismo que dão um toque especial na formação de uma nação. Aqui não se aprende a respeitar o próximo.

Uma tese que li e que achei interessante: o Brasil nunca passou por uma guerra nos moldes das guerras civis contemporâneas. Talvez uma boa explicação para a falta de solidariedade e de respeito.

Enquanto muitos acreditavam que uma mulher ter sido eleita como presidente seria uma evolução, a misoginia demonstrada contra a chefe de Estado é assustadora. O governo não estar indo bem não nos dá o direito de tratar a pessoa da presidente (eleita pelo voto popular) como uma prostituta. Ou seja, a falta de respeito à figura feminina deixa claro o retrato da sociedade. E o machismo não é praticado somente por homens! O racismo sendo gritado aos ventos é morte para um país que lutou contra a escravidão dos negros; a homofobia declarada deixa exposta a hipocrisia de um povo que promove uma festa chamada carnaval e a vende como a uma maravilha do mundo; a xenofobia demonstra o quanto paramos na política café-com-leite e suas oligarquias; a intolerância religiosa mostra o quanto Deus pode ser deturpado e usado para servir à causa de alguns.

A herança maldita de uma colonização corrupta e gananciosa sai da cova neste século 21. Todas as mentiras que aprendemos na escola quando nos diziam que Dom Pedro I era herói e que a família real portuguesa trouxe glamour ao Brasil estão sendo desmascaradas agora. A exploração europeia do Brasil deixou muitos buracos que se transformaram em lama (para não dizer outra coisa). E estamos escorregando e nos sujando nela hoje. É preciso acabar com a impunidade dos chamados crimes de ódio, especialmente os cometidos na web. Enquanto reinar a falta de rigor da lei e punição, essas ações serão cada vez mais replicadas.

Este é um desabafo de alguém que está cansado de ver tanta ignorância sendo passada de pai para filho, de mãe para filho, de gente para gente. É preciso mais conhecimento. É preciso mais amor.

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

O povo brasileiro não é um povo sofrido, isso é fato. Talvez por isso nunca tenha aprendido sobre deveres e tenha se especializado em direitos.
A corrupção, por sua parte é filha pródiga da impunidade. Já aprendemos isso.
Quanto à Dilma, o ódio não se coloca contra a figura feminina e sim contra a figura do ilícito que representa e o restante é apenas concordância verbal e nominal. As atitudes de repúdio que transcendem aos bons costumes e caem na vulgaridade são condenáveis em qualquer situação e acabam por desvalorizar não apenas quem é ofendido, mas também a quem ofende.
Veja quantos pontos interessantes foram necessários para se formar um desabafo.
Seria bom se todo brasileiro fizesse pelo menos por uma vez, esse exercício. continuar lendo